Cristã é presa por blasfêmia no Paquistão: “Há uma campanha contra cristãos”

  • 06/06/2024
Cristã é presa por blasfêmia no Paquistão: “Há uma campanha contra cristãos”
Cristã é presa por blasfêmia no Paquistão: “Há uma campanha contra cristãos” (Foto: Reprodução)

Uma cristã no Paquistão permanece na prisão sob acusações falsas de blasfêmia depois que um juiz rejeitou seu pedido de fiança na última segunda-feira (3).

Stella Khawar, de 28 anos, foi presa em 12 de maio em Kotli Loharan, e foi acusada de ferir os sentimentos religiosos dos muçulmanos.

“O advogado pedirá fiança no tribunal de sessões. Não sei qual será o resultado devido à pressão exercida por grupos religiosos, mas a minha prioridade neste momento é manter o meu filho protegido de qualquer perigo”, disse o marido, Khawar Shahzad ao Morning Star News.

“Após os ataques de 16 de agosto de 2023 a igrejas e casas de cristãos em Jaranwala, ocorreu três ou quatro incidentes em nossa aldeia nos quais foi encontrado conteúdo blasfemo escrito em notas e outros materiais, incluindo sacolas de compras. Isso causou muita tensão em nossa localidade, mas ninguém sabia quem estava por trás dessas ações”, acrescentou.

Existem cerca de 300 a 350 famílias cristãs estabelecidas em Kotli Loharan. Khawar, que é  membro de uma igreja pentecostal, disse que o último incidente ocorreu na aldeia em 10 de maio, quando um cidadão encontrou conteúdo blasfemo escrito em um papel. 

“Em vez de registar um novo Primeiro Relatório de Informação (FIR), a polícia nomeou Stella Khawar nos FIR de agosto e janeiro que foram anteriormente registados contra ‘pessoas desconhecidas’”, relatou o marido.

E continuou: “Estávamos na casa dos meus sogros no dia 12 de maio quando a polícia chegou e levou Stella sob custódia. Eles alegaram que tinham provas 'concretas' de que ela era responsável pelos incidentes de blasfêmia. Ficamos perplexos com a alegação, mas não havia nada que pudéssemos fazer para impedir a polícia de levar Stella com eles”.

Khawar não conseguiu ver a esposa desde que ela foi presa. O casal tem um filho de 4 anos: “A minha esposa é uma cristã devota e, tal como outros membros da comunidade, ela ficou muito perturbada após os ataques em Jaranwala. No entanto, ela nunca disse ou fez nada que mostrasse que ela poderia estar envolvida em tal atividade”.

A polícia de Kotli Loharan prendeu Stella Khawar sob acusações de blasfêmia em um caso em 27 de agosto e outro em 7 de janeiro. 

De acordo com Khawar, ambos os FIRs foram registrados por Syed Jawad Ali, um líder muçulmano, que alegou que as pessoas não identificadas lançaram conteúdo blasfemo em diferentes lugares doa aldeia com a intenção de alimentar a tensão religiosa entre as comunidades muçulmana e cristã.

‘Campanha organizada contra os cristãos’

Ativistas locais informaram que os recentes incidentes em Kotli Loharan foram motivo de séria preocupação e suspeitam de uma campanha organizada contra os cristãos. 

“Tem havido repetidas tentativas de agitar a tensão religiosa em Kotli Loharan desde o incidente de 16 de agosto em Jaranwala”, disse o ativista Shahzad Imran. 

“Parece que foi lançada uma campanha organizada contra os cristãos, a maioria dos quais são pessoas pobres da classe trabalhadora”, acrescentou.

Imran lembrou que no início deste ano, uma gangue muçulmana em Kotli Loharan torturou dois irmãos cristãos obrigando-os a recitar credo islâmico. 

Napolean Qayyum, outro ativista, relatou que o recente incidente em Sargodha, no qual uma multidão muçulmana linchou um cristão idoso sob falsas acusações de blasfêmia e queimou sua fábrica de sapatos, mostrou “como as leis controversas são mal utilizadas para resolver rivalidades pessoais”.

“Falsas alegações de blasfêmia se tornaram uma norma no Paquistão. Ninguém está seguro agora, nem mesmo os muçulmanos. Os recentes atos de violência mostram que os cristãos são particularmente vulneráveis ​​na província de Punjab. O governo precisa levar muito a sério todos os incidentes que envolvam acusações de blasfêmia e deve garantir a proteção das minorias contra ataques de multidões”, disse Qayyum.

Blasfêmia no Paquistão

De acordo com o Morning Star News, os suspeitos de blasfêmia no Paquistão são geralmente mantidos sob custódia até que o julgamento e os recursos se esgotem. Além disso, a blasfêmia contra Maomé, o profeta do Islã, é punível com a morte e a condenação normalmente ocorre com poucas evidências legais.

Com isso, as leis de blasfêmia são frequentemente utilizadas como vingança para acertar contas pessoais ou para resolver disputas sobre dinheiro, propriedade ou negócios. No país, uma única alegação é suficiente para provocar uma multidão que se revolta e lincha os acusados.

O Paquistão ficou em 7º lugar na Lista Mundial da Perseguição da Missão Portas Abertas de 2024 dos lugares mais difíceis para ser cristão.

FONTE: http://guiame.com.br/gospel/missoes-acao-social/crista-e-presa-por-blasfemia-no-paquistao-ha-uma-campanha-contra-cristaos.html


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Top 5

top1
1. Heroi dos Herois

Novo Som com Matos Nacimento - Heroi dos Herois

top2
2. Anderson Freire com Gisele Nascimento - Mapa do tesouro

Anderson Freire

top3
3. Grande é o Senhor

Adhemar deu Campos

top4
4. Não ceda

Rose Nascimento

top5
5. Em teus Braços

Laura Souguellis

Anunciantes